Alimentos ricos em cobre ajudam a aumentar a disposição

Alimentos ricos em cobre contribuem para a manutenção da saúde – combatendo o stress, colesterol e pressão alta, dão energia e também contribuem com a beleza – pois atacam os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células. Produtos com alto teor de cobre possuem de 0.3 mg a 2.0 mg desse mineral para cada 100 gramas de alimento.

Não é preciso fazer nada muito elaborado para conseguir essa dieta. Pequenos petiscos como nozes e amendoim e ingestão de frutas já ajudam a conseguir a dose do mineral no organismo. É possível suprir a necessidade diária de 1,5 a 3 mg do cobre incluindo também na alimentação feijão ou lentilha, farelo de gérmen de trigo, fígado e frutos do mar. Nos chocolates, tomates, bananas, uvas, batatas, frutas secas e cogumelos, a quantidade média é de 0.1 a 0.3 mg.do metal para cada 100 gramas. Já água, frango, peixes, leite e derivados têm quantidades mínimas do metal: 0.1 mg por 100 gramas.

Esse mineral contribui na formação do colágeno, proteína mais frequentemente encontrada na pele e que mantém a aparência suave, saudável e sem rugas. O colágeno é também fundamental para formar, reparar e manter a saúde dos ossos, contribuindo para a rigidez e força mecânica.

O ICA – Internacional Copper Association (instituição voltada para a promoção do cobre mundialmente) e representada no Brasil pelo Procobre (Instituto Brasileiro do Cobre) apóia desde 2000 dois estudos coordenados pela doutora chinesa Bao Shanfen, especialista em nutrição, que avalia a estimativa nutricional em todas as dietas dos hospitais chineses. Ela já detectou que a ingestão de cobre não era suficiente, apesar da adequada administração de proteínas e macronutrientes nos menus dos pacientes. Ao mesmo tempo constatou uma diferença entre as medidas práticas e os valores calculados da tabela da composição da comida.

Os estudos realizados revelaram ainda que muitos adultos simplesmente não recebiam a quantidade suficiente de cobre. O motivo: o metal vermelho quase não existe em gorduras e óleos. Ter uma dieta rica em alimentos processados, incluindo fast food e poucos vegetais, fornece pouco cobre e coloca em risco a ingestão ideal deste mineral.

Enquanto a pesquisa sobre os benefícios do cobre na saúde cresce, os consumidores devem estar atentos a seu consumo de cobre. De acordo com o doutor Carl Keen, presidente do Departamento de Nutrição e Professor de Nutrição de Medicina Interna na Universidade da Califórnia e que passou mais de trinta anos estudando os efeitos dos micronutrientes na saúde humana, “para assegurar a ingestão adequada de cobre por meio dos alimentos, a melhor maneira de pensar no cobre é junto ao ferro e ao zinco, como um trio”, destaca.

Fica um alerta: balancear a ingestão de ferro, zinco e cobre é importante. O excesso de cada um pode desestabilizar a habilidade do corpo em absorver ou processar os outros dois minerais.

A proposta de dieta abaixo é uma forma de usufruir os benefícios desse mineral, principalmente nesta época do ano.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*