Anabolizantes, se vai vendê-los cuidado pois é tráfico de drogas…

Você pratica musculação quer crescer rápido e passa a tomar anabolizantes. Aparecem os resultados e acaba tendo a idéia/ necessidade de comprá-los mais baratos. Afinal o cara que me vende está tendo lucro, ou seja compra mais barato do que me vende…

Com alguma pesquisa (pouca) descobre que a maior parte dos anabolizantes vendidos no mercado paralelo (ilegal) vem do Paraguai. Aí surge o problema: para ir e comprar só para mim não compensa mas se comprar uma quantidade maior dá e ainda vou ter lucro…

E lá vai você comprar anabolizantes para revender. Por azar a Polícia Federal resolve fiscalizá-lo na Ponte da Amizade.  E aí você acaba de “trocar” sua academia por uma com “mensalidades” pagas entre 10 a 15 anos.

Só que essa academia localiza-se dentro de um presídio pois você cometeu um crime, tráfico de drogas, igual aos dos traficantes de cocaína, crack, etc. Além, é claro, do crime de contrabando.

Saiba mais se pois essa troca de academia não é opcional…

Os anabolizantes vendidos ilegalmente no Brasil também vem do vizinho Paraguai. O contrabando de anabolizantes é feito em pequenas quantidades, geralmente por professores de musculação, pessoas ligadas a academias e ao meio esportivo segundo o delegado Renato Lima, da Polícia Federal de Foz do Iguaçu, onde é feita a maioria das apreensões.

"A 200 metros da fronteira com o Brasil, tem pelo menos 10 farmácias onde se compram essas substâncias sem qualquer controle", diz Lima. Os contrabandistas entram no pais pela Ponte da Amizade, que liga os dois países, a pé ou de automóvel. Eles podem ser flagrados na revista do controle aduaneiro.

"Mas é humanamente impossível verificar todo mundo, com um trânsito diário de rnais de mil pessoas", diz o delegado.

Segundo a assessoria da PF em Brasília, não existem estatísticas nacionais sobre contrabando de anabolizantes, mas só em Foz do Iguaçu foram apreendidos 3.624 ampolas, cartelas e frascos dessas substâncias em 2007. 0 número aumentou 730% em relação a 2006, um crescimento 3,5 vezes superior 30 da apreensão de medicamentos em geral.

"Uma vez no Brasil, os anabolizantes são oferecidos em salas de bate-papo e sites internacionais, para evitar a identificação do vendedor", diz o delegado Carlos Eduardo Sobrai, da Unidade de Crimes Cibernéticos da PF, responsável pela Operação Placebo, realizada em 2007. "O pagamento é feito por depósito bancário e a entrega pelo correio."

A ação contra o comércio ilegal de medicamentos peja internet prendeu pessoas que vendiam anabolizantes em São Paulo, Brasília e Santa Catarina. Não existe pena para quem compra anabolizantes sem receita. Para o contrabando, a pena é de 1 a 4 anos de prisão. Venda ilegal, de 10 a 15 anos.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*