Apenas academia não é suficiente para manter a saúde, diz estudo

Frequentar a academia quatro vezes ao dia onde se pratica musculação e atividade aeróbica, não é o bastante para a saúde. É preciso caminhar também ao longo do dia.

A conclusão é do endocrinologista James Levine, da Clínica Mayo, em Rochester, nos EUA. Ele estuda os movimentos cotidianos em nosso metabolismo há 10 anos.

Segundo ele, o corpo humano foi moldado para caçar, nadar, coletar, plantar e, sobretudo, caminhar. Porém, a vida moderna mudou radicalmente nosso estilo de vida e nos tornou seres sedentários. A maioria da população passa de 10 a 15 horas por dia sentada no carro, no ônibus, no trabalho, ou em frente à TV e ao computador.

De acordo com Levine, que é autor do livro “Mexa-se um pouco, emagreça muito” (Editora Rocco), as pessoas que se movimentam mais queimam até 350 calorias extras por dia, o que equivale a mais de 15 quilos por ano. Por isso, a obesidade estaria ligada à imobilidade do homem moderno. O especialista informa que não adianta ir com freqüência à academia ou mesmo fazer uma corrida matinal se ao longo de todo o dia, o homem fica sentado.

paul_james O sedentarismo não causa apenas o aumento de peso. Ele desenvolve problemas cardíacos e doenças como diabetes. James Levine lembra que nossos ancestrais queimavam tudo que ingeriam ao se deslocar na busca por comida e abrigo. A vida moderna mudou os hábitos do homem, aprisionando-o em cadeiras, atrás de computadores.

Veja as dicas para diminuir o sedentarismo dadas pelo endocrinologista:

  • Se puder abrir mão do transporte até o trabalho, caminhe até ele. Se for longe, busque estacionar alguns quarteirões de distância;
  • Prefira sempre as escadas aos elevadores
  • Em vez de mandar um email para uma pessoa que trabalha com você, vá até ela para dar o recado;
  • Procure caminhar durante uma parte da hora do almoço;
  • Antes de jantar adicione 20 minutos de caminhada ou caminhe após a refeição.
  • Ao tomar banho esfreguesse vigorosamente com a toalha

Fonte: bemstar.globo.com

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*