As dúvidas e mitos mais comuns sobre prática de exercícios respondidas

Já reparou como na academia, no clube e no parque tem sempre alguém dando palpite quando o assunto é musculação? Em busca de resultados mais eficientes, porém, muitas pessoas acabam cometendo erros e imprudências, mesmo entre aquelas que já malham há bastante tempo. E as dúvidas mais comuns muitas vezes são simples, têm a ver com alimentação, carga, hidratação – detalhes que fazem toda a diferença no rendimento do treino, com certeza. Então, que tal testar seus conhecimentos sobre o assunto com as questões apresentadas por um time expert: os fisiologistas Fernando Torres e Renato Lotufo e os personal trainers Almeris Armiliato e Wanderlei de Oliveira. Confira.

1. Se eu comer muito no fim de semana, posso compensar com mais exercício na 2ª. feira?

Não. Pelo menos não é essa a conduta saudável e a que vai conduzir aos benefícios do exercício físico. O certo é caprichar nas séries todos os dias e manter a regularidade da malhação, além do controle alimentar com uma dieta de baixo teor de gordura e açúcar.

2. Suar bastante indica que o exercício queima bastante calorias?

Não. Outro mito. A transpiração é um processo de controle da temperatura do corpo e não é indicador de queima de calorias.

3. Correr no asfalto é melhor do que na esteira?

Não. Essa comparação é errada, pois a caminhada é favorável nos dois casos. No asfalto há mais impacto e isso pode exigir mais esforço, mas também sobrecarrega as articulações. Na esteira, com amortecimento, o exercício deve ser potencializado com controle de carga e velocidade.

4. O gasto calórico na bicicleta é maior do que esteira?

Não. Pedalar simplesmente gasta menos calorias do que fazer exercício na esteira, porque o grupo de músculos envolvidos na bicicleta é menor. Contudo, entre uma aula de spinning e uma caminhada na esteira em velocidade baixa, a conta empata.

5. Musculação queima mais caloria do que aeróbica?

Não. Isso é mito. Só um programa aeróbico é capaz de produzir grande queima calórica. O ideal, contudo, é unir os dois tipos de exercício, geralmente, com a musculação na segunda parte do treino.

6. Se a ginástica localizada foi boa mesmo, na primeira semana já dá para sentir os resultados?

Não é necessariamente verdade. O resultado do exercício localizado está ligado ao nível de condicionamento físico da pessoa e também à freqüência com que é praticado. Em geral, a musculação e a ginástica localizada mostram seus resultados entre 2 e 3 meses após o início e desde que sejam praticadas com regularidade.

7. Quanto menos roupa na hora do treino, melhor rendimento?

Sim. Malhar com muita roupa apenas vai aumentar a sudorese e, conseqüentemente, provocar desidratação e fadiga. O ideal é que a roupa não prenda os movimentos, seja leve e confortável. Há peças especialmente desenhadas para a prática esportiva, confeccionadas em tecido inteligente que facilitam a evaporação do suor.

8. Ir e voltar a pé da academia substitui o alongamento?

Não. A caminhada pode ser considerada um aquecimento, pois é um exercício aeróbico, enquanto o alongamento é um exercício de flexibilidade para articulações e fibras musculares.

9. Quem malha direto precisa ingerir suplementos alimentares?

Não. Esses produtos devem ser consumidos apenas por atletas de alta perfomance e, sempre, sob supervisão e orientação clínica. E nunca como substitutos dos alimentos. O consumo de suplementos alimentares sem controle ou em excesso pode causar aumento de peso e danos graves à saúde.

10. A cada 20 minutos de treino é bom se hidratar?

Sim. Enquanto seu corpo transpira, perde líquidos e, por isso mesmo, é importante beber água antes, durante e depois do exercício. O melhor é ingerir de 300 ml a 800 ml antes de começar o treino e 100 ml a cada 20 minutos durante a aula, musculação ou corrida.


Fonte: Gazeta Web, 03/02/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*