Bexiga hiperativa e disfunções da bexiga, o botox pode ser a solução

Uma das últimas novidades no tratamento de disfunção da bexiga, o botox, é uma técnica simples, pode substituir a cirurgia  e tem apresentado resultados favoráveis em quem já aderiu ao tratamento.

O aumento na qualidade de vida das pessoas que sofrem de bexiga hiperativa e foram tratada com o botox foi um dos assuntos debatidos no "6º Congresso Internacional de Incontinência Urinária e Distúrbios da Micção", realizado em São Paulo no último final de semana.

Quem tem essa doença sente uma necessidade súbita e intensa de esvaziar a bexiga, e a vontade de urinar com bastante frequência – vai ao banheiro até oito vezes por dia e acorda duas vezes ou mais à noite – e pode inclusive ter incontinência urinária (perda involuntária de urina). Os sintomas atrapalham a rotina profissional, a vida pessoal e sexual e os relacionamentos. E, muitas vezes, podem até desencadear um quadro de depressão.

Sem tratamento da bexiga hiperativa por desconhecimento

O uso do botox para disfunção da bexiga foi aprovado em 2009 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Porém, ainda não se tornou comum entre as pessoas que sofrem da doença. Uma das explicações para isso, na opinião do urologista José Carlos Truzzi, é que os problemas urinários ainda não são vistos como doenças e, portanto, as pessoas não buscam tratamento.

"Apenas 25% dos pacientes com bexiga hiperativa procuram atendimento. Isso ocorre por vergonha, por acharem que é um quadro normal ou porque buscam médicos que não são especialistas, o que torna o problema subtratado", comenta Truzzi.

O botox pode ser usado no tratamento da bexiga hiperativa apesar da pouca procura por tratamento devido ao desconhecimento Essa doença é mais frequente em mulheres pós-menopausa. Ainda não se sabe o que a provoca, mas ela está relacionada a lesões neurológicas, tumorais e na medula. A perda de urina não é consequência normal do envelhecimento, como se costuma pensar.

"A técnica é pouca divulgada e feita pela minoria. Muitos desconhecem que o botox tem usos muito mais nobres para doenças que deterioram a qualidade de vida", fala a uroginecologista Ivani Pires de Andrade Kehdi, do Hospital São Luiz.

O botox não é a primeira opção de tratamento para bexiga hiperativa. Antes, especialistas recomendam mudança de hábitos alimentares, fisioterapia pélvica e medicamentos. Esses, porém, causam reações adversas como secura na boca e tontura, o que provoca o abandono do tratamento – após seis meses, metade para de ingerir as drogas. Os remédios são contra-indicados para quem tem problemas de coração e glaucoma.

Contra-indicações do botox

O botox não pode ser aplicada em mulheres gestantes, pessoas com alguns tipos de doenças neurológicas e com infecção urinária aguda

Duração e reaplicação do botox

O tempo que dura a aplicação da botox é seis meses e pode ser repetida várias vezes seguidas, com os intervalos recomendados  por especialistas. Há casos em que o botox foi aplicada mais de dez vezes.


Fonte: diariosp.com.br, Aline Mustafa, 28/07/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*