Caralluma Fimbriata proibida pela Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a importação e comercialização de produtos que contenham em sua composição o insumo Caralluma Fimbriata cuja propaganda afirmava que ela  acelerava a perda de peso. Essa proibição passou a valer a partir do dia 21/12/2010 com a publicação no Diário Oficial da União da proibição de importação e comercialização da caralluma.

A caralluma é uma fibra vegetal obtida a partir do extrato seco de um cacto de origem indiana. A descoberta do medicamento foi resultado de um estudo envolvendo povoados da Índia que mastigavam o cacto em sua preparação para grandes viagens, no intuito de inibir o apetite. O uso se tornou cultura na região por séculos.

O objetivo do consumo da caralluma era reduzir o peso sem resultar em perda de energia ou apatia e com efeitos colaterais mínimos. Por isso a caralluma se tornou uma “queridinha” nas modernas dietas de emagrecimento.

Caralluma Fimbriata – produtos ainda não estão regularizados no Brasil

A Anvisa afirmou que nenhum produto que contenha em sua composição a Caralluma Fimbriata encontra-se regularizado no País. Segundo a agência, o consumidor deve abandonar o consumo, pois a sua composição não foi analisada.

O que deve-se entender dessa proibição da caralluma é que ainda faltam testes dos produtos que a utilizam em suas formulas e não que ela cause efeitos nocivos ao organismo. É bastante provável que após os testes a caralluma seja liberada no mercado brasileiro.

Importar e comercializar produtos com caralluma fimbriata no momento é ilegal. Com isso não existe garantia mínima de qualidade. Evite, portanto, comprar antes de estar liberada pela Anvisa.

One thought on “Caralluma Fimbriata proibida pela Anvisa

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*