Cálcio e leite, necessários ou não para os ossos ?

Estudos mostram que o consumo de leite de vaca para manter os ossos fortes e prevenir a osteoporose pode ser apenas um mito. Segundo os pesquisadores, as crianças e adolescentes precisam de exercício, luz solar, e uma dieta com baixo consumo de leite para terem ossos saudáveis.

O conceito não é novo. Há alguns anos, pesquisadores já alertam contra a popular ideia de que “3 copos de leite são essenciais para termos ossos fortes e saudáveis”. 

Uma análise realizada em 58 estudos científicos, publicada no periódico americano Pediatrics, mostra que não há indícios que provem que os produtos lácteos promovam a saúde óssea em crianças e jovens adultos. Esta análise mostra que as evidências nas quais as recomendações de ingestão de produtos lácteos foram baseadas são insuficientes para comprovar tal teoria “, diz Dr. Lanou, autora principal do estudo.

“Uma vasta maioria dos estudos examinados não encontrou relação entre laticínios ou ingestão de cálcio e  saúde óssea.” Ao contrário, acredita-se que a principal causa de osteoporose seria o consumo excessivo de proteína animal, comum na dieta ocidental. O nível de consumo de lácteos nos Estados Unidos está entre os mais altos do mundo, e ainda assim as taxas de osteoporose e fraturas também estão entre as mais elevadas. Este paradoxo do cálcio “foi um impulso para esta investigação. Nós não encontramos nenhuma evidência para apoiar a noção de que o leite é uma fonte preferencial de cálcio”, concluem os autores.

Apesar de dito fundamental para evitar a osteoporose, no Estados Unidos, onde mais se consome leite no mundo, a osteoporose também apresenta os maiores índices Um outro estudo realizado pela escola de medicina da Penn State University, nos Estados Unidos, também mostra resultados semelhantes. 80 mulheres, entre 12 e 22 anos, foram acompanhadas ao longo de 10 anos para avaliar o impacto da ingestão de cálcio (através do consumo de leite de vaca), o uso de contraceptivos orais e exercícios físicos na densidade óssea.  De acordo com os pesquisadores, somente a atividade física teve um impacto mais positivo na saúde óssea.

O fato mais importante sobre o exagerado consumo de laticínios é que para os pais, consumir muito leite, queijos e outros derivados é considerado saudável para seus filhos. Entretanto, junto com as proteínas e o cálcio, está também presente a gordura saturada, que se consumida em excesso pode levar ao aumento de peso e a outros problemas de saúde.  O aumento do consumo de lácteos no Brasil é substancial, e somente pessoas com intolerância à lactose e alergia às proteínas do leite percebem a dificuldade de encontrar alimentos em bares, restaurantes e supermercados que sejam isentos de leite e derivados.

O que deve ser feito para manter ossos saudáveis e prevenir a osteoporose?

Para os intolerantes à lactose, que consomem uma baixa quantidade de leite e derivados e para os alérgicos às proteínas do leite, esta é uma ótima notícia. Muitas pessoas com restrições alimentares de lácteos preocupam-se com a ingestão de cálcio e acreditam que o leite é sua melhor e principal fonte. No entanto, esses e outros estudos científicos vêm provando o contrário.

Faça atividade física constantemente -  estudos concluíram que o exercício físico é a chave para a construção de ossos fortes (é mais importante do que qualquer outro fator).

Procure expor-se ao sol em horários adequados por pelo menos 15 minutos – a vitamina D, sintetizada pela pele através da exposição ao sol, tem o papel de auxiliar a retenção do cálcio pelo organismo.

Evite o consumo excessivo de proteína animal – procure aumentar a ingestão de frutas e verduras.

Não fume – o tabagismo aumenta a perda óssea. Para prevenir a osteoporose é importante eliminar o cigarro de seus hábitos.


Fonte: semlactose.com, 29/06/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*