Câncer, como ocorre a metástase

As células malignas (cancerígenas) têm a capacidade de se deslocar do seu lugar de origem e se espalhar (“disseminar”) pelo resto do corpo. Após um determinado estágio de desenvolvimento do tumor, conseguem produzir substâncias que dissolvem o tecido ao redor do local onde se originaram, permitindo que consigam crescer localmente com certa facilidade.

Num estágio posterior, estas células conseguem atrair para sua área de crescimento pequenas veias, que vão ser responsáveis por trazer nutrientes e oxigênio para que as células tumorais possam se desenvolver.

Numa fase ainda mais posterior, as células tumorais conseguem entrar em pequenas veias ao redor do tumor ou de pequenos canalículos (“vasos linfáticos”) que permeiam todos os nossos tecidos.

Normalmente, os vasos linfáticos servem para escoar uma série de detritos dos tecidos, principalmente bactérias e restos celulares; depois de certo trajeto, estes vasos linfáticos desembocam num emaranhado de vasos que formam um pequeno novelo que serve como “filtro” de tudo o que vem sendo trazido pelos linfáticos.

Estes filtros são os chamados “gânglios linfáticos”, que estão espalhados pelo corpo (no pescoço, nas axilas, nas virilhas, e em todo o interior do corpo – também conhecidos como “ínguas”). Estes gânglios estão cheios de células do sistema imunológico, que ajudam a destruir todo o material que chega pelos vasos linfáticos.

Quando temos uma infecção da garganta, por exemplo, as bactérias que penetraram pelos vasos linfáticos serão destruídas pelos gânglios linfáticos do pescoço, que, nesta fase, apresentam-se inchados e doloridos.

No caso do câncer, da mesma maneira, os gânglios linfáticos vão aumentando de tamanho à medida que as células malignas vão chegando. Nesse local, o câncer é atacado pelo sistema imunológico e, muitas vezes, as células malignas não conseguem ir adiante.

Seja pelas veias ou pelo sistema linfático, as células malignas conseguem caminhar para longe do seu local de origem. Ao chegar a outros órgãos, as células malignas conseguem perfurar a parede das veias, invadirem o tecido adjacente, e iniciar a formação de uma nova “colônia” de células.

Estas colônias de células malignas, formadas à distância, são as chamadas “metástases”, que muitas vezes, por aparecerem em órgãos nobres, podem ser a causa de morte do paciente. As células que formam as metástases são muito parecidas com as células do tumor original; um patologista experiente consegue muitas vezes determinar de que órgão vieram as células metastáticas e onde deve estar o tumor primário.

Assim, é importante entender que, apesar de crescerem em outro órgão, as células malignas conservam características das células de seus tecidos originais. Por exemplo, células malignas que saem da mama e vão se instalar em ossos não constituem um “câncer ósseo” (que é uma doença muito diferente), mas sim um “câncer de mama metastático nos ossos”. Nesses casos, usa-se um esquema de tratamento para câncer de mama, e não para câncer ósseo.

Abaixo mostramos onde em geral ocorre a metástase para determinado tipo de tumor:

  • tumor de mama: metástases preferenciais para gânglios da axila, pulmão, ossos, fígado e cérebro;
  • tumor de próstata: metástase para gânglios pélvico e ossos;
  • tumor de pulmão: metástase para gânglios do tórax, ossos, glândulas supra-renais, fígado e cérebro
  • tumor de cólon (intestino grosso): metástase para gânglios intestinais e fígado
  • One thought on “Câncer, como ocorre a metástase

    1. bom dia
      gostaria de saber metastase tem cura
      quem pode mi ajudar eu agradeço muito
      wleu.

    Leave a comment

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    *