Como escolher a pasta de dente ideal

A indústria farmacêutica oferece uma grande variedade de marcas de pastas de dente, cada uma prometendo mais benefícios do que as demais. Diante de tantas marcas, é normal que muitos usuários tenham dificuldade de escolher qual a mais adequada.

Todas as marcas de pastas tem como objetivo principal limpar os dentes durante a escovação. No entanto, muitas delas fazem bem mais do que esse objetivo. Qual a marca escolher depende das características individuais de cada consumidor.

Veja em qual característica você se enquadra e escolha corretamente sua pasta de dente.

Para quem tem uma boca saudável e apenas quer prevenir cáries

Nesse caso, é importante que a pessoa faça a higiene bucal com frequência e use uma marca de pasta que contenha flúor. O flúor ajuda a remineralizar o esmalte dos dentes, fortalecendo-os e dificultando a perfuração deles pelas bactérias.

Para que a pasta com flúor seja eficaz, é necessário que ela contenha, no mínimo, 1 mil partes por milhão (PPM) de fluoreto. Marcas de pasta com menos do que essa quantidade não tem eficácia. Daria no mesmo escovar os dentes com pastas sem flúor ou outras que contenham menos que essa quantidade.

Uma dica é que a pessoa deve evitar lavar a boca após a escovação pois a água retira o flúor, reduzindo seu efeito. Ela deve apenas cuspir a pasta de dente.

Para controlar o tártaro

Nesse caso, as pastas de dentes mais indicadas são as que contém pirofosfato de sódio, substância que evita a formação de tártaro nos dentes, e hexametafosfato de sódio, para combater a formação dele.

No entanto, uma pasta de dente com essas substâncias não faz mágica e não vai remover o tártaro caso você já o tenha. Nesse caso, é necessária uma visita ao dentista para fazer uma limpeza.

Foto mostrando uma escova com pasta de dente

Pastas de dentes não são todas iguais. Cada uma serve para uma finalidade específica

Para quem tem sensibilidade

Se a pessoas sente dor ao comer alimentos ou ingerir bebidas quentes ou frias é porque tem sensibilidade. A sensibilidade dentária é um sinal de que o esmalte está desgastado.

Para pessoas com esse problema, existem pastas de dente específicas que contém substâncias que obstruem os poros espalhados pela dentina e que ligam os nervos aos dentes, diminuindo a reação às mudanças de temperatura.

 

Para quem tem gengivite

A gengivite é uma doença oral bacteriana que geralmente provoca inflamação e sangramento nas gengivas. Na maioria das vezes é um problema de fácil solução mas há doenças mais graves, como a leucemia que têm a gengivite como um dos sintomas.

Para que tem esse quadro é necessário uma pasta de dente mais específica, que além de flúor, contenha algum antisséptico, como o triclosano.

É importante lembrar que essas pastas são destinadas a um problema específico e não devem ser usadas por prazos superiores há duas semanas. Se após esse período a gengivite persistir, é necessário consultar um dentista para um diagnóstico mais preciso.

 

Para quem quer dentes mais brancos

Dentes impecavelmente brancos parecem ter se tornado o objeto de desejo de grande parte das pessoas. A indústria, é claro, percebeu essa “necessidade” e lançou pastas voltadas para o clareamento dental.

No entanto, o fato é que tais pastas não são muito eficazes a não ser quando são utilizadas de forma complementar ao clareamento dental realizado por um dentista.

As pastas que tem como principal finalidade o clareamento dental tem como substâncias o peróxido de carbamida e o bicarbonato de sódio, que facilitam a remoção de manchas causadas pelo café, cigarro, etc.

Uma informação que não é claramente fornecida pelos fabricantes de pastas com o objetivo de clareamento dental é que seu uso prolongado podem desgastar o esmalte causando sensibilidade.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*