Como preparar as plantas para o uso fitoterápico

Como falamos antes, existem diversos preparados de plantas medicinais. O que veremos aqui é como eles são preparados.

 

Os Chás

São bebidas obtidas pela dissolução dos princípios medicamentosos das plantas (folha, flor, caule, raiz) em água fria – por maceração – ou em água quente – por infusão ou decocção.

Os chás devem ser preparados em recipiente de barra, de faiança, de porcelana ou de esmalte. Deve-se evitar, em qualquer casa, os utensílios de metal que são atacados pelos ácidos das plantas e que podem alterar os componentes químicos extraídos das mesmas.

 

A Infusão

Após ter despejado água fervente sobre pedaços frescos ou secos da planta, deixa-se infundir a mistura durante um tempo que varia de alguns minutos a meia hora para as flores, os caules e as folhas, e de 1 a 2 horas para as outras partes da planta, como: raiz, casca ou rizoma.

 

A Decocção

[wpb-product-slider posts="12" title="Compre em nossa loja"]

Extraem-se os produtos ativos das plantas cozendo-as em água. O tempo de cozimento varia conforme a planta ou a parte da planta utilizada. Será mais longo para a casca e a raiz do que para as flores ou os frutos. Esse processo só é utilizado nos casos em que a infusão não é suficiente para dissolver na água os princípios ativos dos vegetais. Após ter colocado durante 1 ou 2 haras- e às vezes mesmo durante toda a noite – a planta, ou as plantas, em água fria, esquenta-se tudo lentamente até levantar fervura, deixando ferver por alguns minutos. É raro o tempo de fervura ultrapassar 10 minutos. Deixa- se esfriar a mistura; o tempo de infusão dos resíduos das plantas não deve ultrapassar 15 ou 20 minutos; depois, filtra-se. A decocção pode ser ingerida morna ou fria.

figura mostrando como fazer a decocção
A decocção tem a mesma finalidade da infusão mais é utilizada em partes mais duras

Fazer pedidos de produtos da Avon;

Fazer pedidos de produtos da Natura;

Fazer pedidos de produtos do O Boticário;

Visitar a loja do Natural & Bela

 

As cataplasmas

Para fabricar a pasta para cataplasmas, acrescenta-se a um liquido (água, vinho, óleo, lei te ou decocções adstringentes ou tônicas) farinha de linhaça, de mostarda, de centeio, de cevada, de arroz, fécula de batata, ou migalha de pão, a escolher. Junta-se a essa mistura raízes ou folhas de planta, tintura-mãe, essência, unguento ou argila.

 

Como dosar as quantidades nos compostos fititerápicos

É importante respeitar a quantidade em gramas ou em litros. Para pesar com precisão, a melhor solução é usar uma balança. Na falta desse aparelho, pode-se medir a quantidade com a ajuda de uma colher.

Uma colher de café equivale, mais ou menos, a 2 ou 3 g; uma colher de chá, a mais ou menos 5 g e uma colher de sopa a aproximadamente 10 g. Resta a posologia. É, em geral, de 2 a 3 xícaras por dia para os chás, ingeridos de meia em meia xícara no decorrer do dia. Para obter a máxima assimilação, as plantas aperitivas devem ser tomadas antes das refeições, as plantas digestivas após as refeições, e as demais plantas medicinais, no intervalo entre as refeições.

Não se faz uma poção à base de plantas como se fosse um medicamento.

Cada dose, por mínima que seja, deve ser preparada individualmente.

Também não se deve modificar a dosagem querendo reforçar as qualidades do preparado. O ótimo quase sempre é inimigo do bom. A maioria das plantas medicinais corretamente preparadas é benéfica, porém em caso de abuso, corre-se o risco de obter o efeito inverso do esperado. A camomila, por exemplo, utilizada com moderação facilita a digestão. Transforma-se num poderoso vomitivo quando a quantidade ingerida é exagerada.

Voltar ao índice de Fitoterapia

Deixe uma resposta