Cromo, reduz a gordura do corpo principlamente a “barriguinha”…

Está comprovado: o cromo é capaz de reduzir a gordura corporal. E bem ali, onde é mais indesejada: no abdômen.

Isso porque ajuda a diminuir drasticamente o desejo exagerado por doces, que viram moléculas que se concentram na barriga, e atua no controle do apetite – duas façanhas que tornam o emagrecimento bem mais fácil.

O cromo faz com que o carboidrato seja aproveitado como fonte de energia e não fique armazenado sob a forma de gordura, confirma a nutróloga Tamara Mazaracki, do Rio de Janeiro.

Vários estudos apontam nessa direção. Um deles, realizado pelo Health and Medical Research Foundation, em San Antonio, nos Estados Unidos, e publicado no Journal Current Therapeutic Research, analisou 122 pacientes gordinhos.

Uma parte deles tomou 400 mcg de cromo diariamente por três meses e a outra, apenas placebo.Ao final do período, a primeira turma havia perdido 2,8 quilos de gordura corporal, enquanto o restante do grupo emagreceu 1,5 quilo.

Outra pesquisa americana mais recente, feita pela University of Vermont em parceria com a Louisiana State University, indica o mesmo resultado: a ingestão de cromo interfere positivamente na perda de peso.

Cromo em baixa no organismo, ponteiro da balança em alta

Quando há carência de cromo, o organismo entende que não há glicose suficiente em circulação.

Daí dispara a mensagem para o hipotálamo, região do cérebro responsável pelo apetite, de que precisa de mais carboidratos para fazer a taxa de açúcar subir rapidamente.

E onde eles estão? Nos doces, nos pães e nas massas. Só que, nesse caso, o nutriente que dá energia acaba se estocando já sabe aonde: bem ali, na linha da cintura. A menos que você capriche nos alimentos ricos no tal mineral.

E investir em suas fontes é a única maneira de obtê-lo, já que o corpo não produz nada de cromo.

Uma de suas melhores fontes é o levedo de cerveja, que pode ser acrescentado no suco de sua preferência, por exemplo.

Porém, o mineral antibarriga também é encontrado em carnes (como frango e fígado), ovos, ostras, grãos integrais, germe-de-trigo, queijo, pimentão verde, banana, espinafre e pimenta-do-reino.

DE OLHO NA DOSE

Quem malha e transpira muito deve caprichar na quantidade de cromo, porque ele é eliminado pelo suor.

Outro toque importante: o consumo exagerado de carboidratos simples (como balas, chocolate, batata, pão branco) reduz a cota de cromo disponível no organismo. E nada de tomar suplementos por conta própria.

Em excesso, o cromo pode causar efeitos colaterais, como cansaço, perda de apetite, tendência a hematomas, náuseas, dores de cabeça, tonturas, alterações urinárias, sangramento nasal e reações cutâneas tipo urticária.

A suplementação só vale se o organismo de fato estiver carente de cromo, o que só um teste de sangue, solicitado por um especialista, poderá revelar.

Saiba, porém, que o principal sinal de que ele está em baixa é a compulsão por doces.

Se o teor estiver normal, uma dieta caprichada é suficiente para se obter todos os benefícios, afirma Tamara.

Outras boas razões para incluir o cromo na alimentação

  • Ajuda a reduzir o nível de colesterol ruim, o LDL;
  • Reduz variações de humor, principalmente durante a TPM;
  • Alivia sintomas de depressão;
  • Melhora a fadiga;
  • Aumenta a capacidade de o corpo ganhar massa muscular;
  • Auxilia no tratamento do diabete tipo 2;
  • Dá uma força no combate à celulite.

Fonte: Saude Abril

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*