Dislexia, você conhece os sintomas da doenças que muitos tem e não sabem

Segundo a Associação Brasileira de Dislexia (ABD), a dislexia é o distúrbio ou transtorno de aprendizado na área da leitura, escrita e soletração de maior incidência nas salas de aula. Pesquisas realizadas em vários países mostram que entre 5% a 17% da população mundial é disléxica.

Engana-se quem pensa que resulta de má alfabetização, desatenção, desmotivação, condição sócio-econômica ou baixa inteligência. A ABD afirma que é uma condição hereditária com alterações genéticas, apresentando ainda modificações no padrão neurológico. Deve ser diagnosticada por uma equipe multidisciplinar (psicóloga, fonoaudióloga, psicopedagoga clínica e outros profissionais, se necessário).

Se a criança em idade escolar não for acompanhada adequadamente, os sintomas vão persistir ao longo da fase adulta, com possíveis prejuízos emocionais e, consequentemente, sociais e profissionais. Por isso, é importante ficar atento aos possíveis indícios do distúrbio. Ao detectá-los, busque pela ajuda de profissionais que poderão fazer o diagnóstico correto. Confira os sinais da dislexia listados pela ABD:

Sinas da dislexia antes de ingressar no Ensino Fundamental

  • Dispersão;
  • Fraco desenvolvimento da atenção;
  • Atraso no desenvolvimento da fala e da linguagem;
  • Dificuldade em aprender rimas e canções;
  • Fraco desenvolvimento da coordenação motora;
  • Dificuldade com quebra-cabeças;
  • Falta de interesse por livros impressos;

Sinas da dislexia na Idade Escolar

  • Dificuldade na leitura e escrita;
  • Pobre conhecimento de rima (sons iguais no final das palavras) e aliteração (sons iguais no início das palavras);
  • Desatenção e dispersão;
  • Dificuldade em copiar de livros e da lousa;
  • Dificuldade na coordenação motora fina (desenhos, pintura) e/ou grossa (ginástica, dança);
  • Desorganização geral, com constantes atrasos na entrega de trabalhos escolares e perda de materiais;
  • Confusão entre esquerda e direita;
  • Dificuldade em manusear mapas, dicionários, listas telefônicas;
  • Vocabulário pobre, com sentenças curtas e imaturas ou longas e vagas;
  • Dificuldade na memória de curto prazo (instruções, recados);
  • Dificuldades em decorar sequências (meses do ano, alfabeto, tabuada);
  • Dificuldade em matemática e desenho geométrico;
  • Dificuldade em nomear objetos e pessoas (disnomias);
  • Troca de letras na escrita;
  • Dificuldade para aprender uma segunda língua;
  • Problemas de conduta como depressão, timidez excessiva ou o palhaço da turma;
  • Bom desempenho em provas orais.

 


Fonte: Terra, 22/04/2010, adaptado

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*