Doces: 5 maneiras de comer sem que a dieta vá por água abaixo

Para quem gosta de doces e vive com aquela vontade de devorar uma sobremesa, não adianta sugerir comer uma fruta ou trocar um pedaço de brownie por uma fatia de abacaxi ou um iogurte light. Sejamos francos: doce é doce, fruta é fruta.

Pesquisas já provaram que sentir o gosto açucarado na língua leva o cérebro a produzir dopamina, neu¬rotransmissor que estimula neurônios responsáveis pelo prazer. Mas essa sensação tem preço. Altamente calóricos e gordurosos, os doces são apontados como vilões em dietas de manutenção de peso e também de emagrecimento.

“Não tem milagre. Se consumiu mais do que as calorias necessárias para as tarefas do dia, o corpo vai armazenar o excedente”, disse Maria Lucia Tafuri Garcia, presidente SBGAN – Sociedade Brasileira de Gastronomia e Nutrição, entidade sem fins lucrativos que busca divulgar maneiras de conciliar os dois universos, sem sacrificar o sabor ou a saúde.

Por outro lado, uma porção diária de açúcar é recomendada segundo a Organização Mundial de Saúde e tudo o que você precisa fazer é saber como fazer a melhor escolha.

Confira abaixo cinco dicas que vão permitir comer aquele docinho quando bater a vontade:

1) Coma o doce

Se a vontade for muito grande, não adianta não comer. Principalmente se for descontar devorando maiores porções de outros alimentos. Com doces ou não, a chave para manutenção da saúde e boa forma sempre é o equilíbrio. Alimento e prazer têm relação entre si.

O controle do sistema nervoso central está ligado ao sistema gastroinstestinal, e a sensação de saciedade se dá mais pelo prazer, pela sensação do doce, do que pelo alimento”, disse Heloisa Guarita, nutricionsita da RG Nutri e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A especialista alerta que a sensação pode não ser atingida quando se consome um doce diet. Taí, mais um motivo para se permitir algo feito com o verdadeiro açúcar.

2) Reduza as porções de doces

Os formigas de plantão devem estar cientes de que, mesmo causando prazer, essas receitas são altamente calóricas. Em qualquer versão, mesmo as diet e light, ainda há grande concentração de açúcar e gorduras, os ingredientes básicos dos doces.

“Pego caixa de bombons e como três de uma vez só, mesmo sabendo que não vai ser bom. E se começo a sentir a roupa apertada, como só um e tento agüentar”, disse Maria Lucia Tafuri Garcia.

A boa notícia é que doces podem ser incluídos diariamente na dieta, até mesmo numa de emagrecimento: “Uma fatia de bolo, uma bola de sorvete, um picolé, um porção de chocolate”, explicou Heloisa Guarita, que recomenda consumi-los durante o dia.

“Quanto mais cedo melhor, já que o gasto calórico será maior durante o dia. Se o doce ainda estiver dentro das calorias permitidas no dia, não resultará em aumento de peso. Mas à noite o corpo pode ficar mais resistente ao açúcar e demorar mais tempo para digerir os carboidratos em geral”, afirmou Heloisa.

Se comeu muito carboidrato na refeição, não coma doce.

3) Substituir ingredientes nos doces

Uma maneira de manter o sabor e o prazer consumindo uma receita de menor caloria é substituir alguns ingredientes. Entre os mais comuns nas receitas estão o leite condensado, que pode ser trocado por um de versão light; ao usar os ovos, adicionar mais claras do que as gemas. “Isso reduz pelo menos em 20% a quantidade total de calorias”, disse Maria Lucia.

As principais mudanças são conseguidas com o uso dos derivados de leite em versão sem gordura. “Cada grama de gordura contém nove calorias”, disse Heloisa Guarita.

Além desses, sempre que possível é recomendado usar farinha integral. “Ajuda a melhorar o índice glicêmico, pois quanto mais lenta a digestão, melhor”, afirmou a especialista Heloisa.

No caso das gorduras, as mais comuns a manteiga e o óleo, tente usar em menores quantidades, pois normalmente não interfere no resultado final. Uma dica é, sempre que possível, colocar uma clara de ovo, que ajuda a dar consistência em substituição de parte da gordura. E prefira sempre as receitas que vão ao forno do que as que precisam ser fritas.

4) Criar um ritual para comer doce

A dica para fazer isso é não comer rápido e por impulso, como engolindo um brigadeiro após o almoço ou devorando uma barra de chocolates enquanto conversa ao telefone.

“O cérebro não tem tempo de entender o sabor e quando a pessoa percebe já comeu vários”, disse Maria Lucia.

Quando comprar, em vez de comer no local, embrulhe para comer mais tarde. Lembre-se de sempre comer sentado, olhando para o doce, e não fazendo outra coisa, como falando ao telefone ou assistindo à TV. “Saboreie devagar, em pequenos bocados, sentindo o efeito de aproveitar a bocada”, afirmou a especialista, que recomenda morder até um pequeno brigadeiro.

5) Não trocar refeição por doces

Doces contêm as chamadas calorias vazias, pois não oferecem muitas fibras ou vitaminas ao corpo, mesmo quando melhoradas por farinha integral ou ingredientes com menos gordura. Portanto, não se pode pular refeições porque comeu sobremesa. “Doce não sacia, só quem come 10 doces não tem fome. Não têm fibras ou proteínas que dão saciedade”, disse Heloisa Guarita.

Há até justificativas já identificadas em pesquisas, como a maior necessidade de comer chocolate durante a TPM. Como nesse período o organismo fica deficiente em magnésio e o cacau é fonte desse nutriente, o corpo pede o doce. Mesmo com esse benefício, a especialista recomenda buscar essas substâncias em uma dieta rica em frutas e verduras.

O mesmo vale para as fibras e proteínas contidas na farinha integral. “É mais fácil procurar em outros alimentos do que num doce”, disse Maria Lucia.


 Fonte: Terra, 08/12/2009

Republished by Blog Post Promoter