Estudar na faculdade pode levar ao alcoolismo ?

Embora aparentemente não existe nenhuma relação entre estudar em uma faculdade e se tornar um alcoólatra um estudo feito com 536 de uma faculdade de São Paulo sugere que a verdade pode ser outra…

Passar no vestibular e entrar na faculdade é apenas um dos motivos comemorados à base de álcool pelos universitários – são frequentes as notícias de trotes e chopadas regadas a muito, muito álcool mesmo.

É na recepção dos calouros que a ingestão de álcool começa a se tornar preocupante: “nesse momento, os alunos passam por uma transição. Deixam o ambiente escolar, em que eram vigiados, para uma maior liberdade.”, afirma Roseli Caldas, psicóloga e coordenadora do programa MackVida, desenvolvido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O problema é que o consumo de álcool parece não se resumir apenas na entrada da faculdade.

Ao longo da faculdade, a proximidade com a bebida aumenta ainda mais. Na cidade de São Paulo, os traços de dependência relacionada à bebida já aparecem em quase um terço dos universitários avaliados pelo Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod).

O levantamento, feito com 536 alunos de uma faculdade particular de São Paulo. Cerca de 27% dos estudantes relatam sentir necessidade ou urgência em beber semanalmente e outros 4% manifestam essa sensação diariamente. Para os especialistas, os números indicam uma relação de dependência química ao álcool.

O levantamento também indica que dois a cada três estudantes universitários consomem álcool ao menos uma vez por semana.

A disponibilidade do álcool e a oferta frequente aos jovens é o que preocupa. “O álcool está muito disponível e tem esse caráter benigno. É uma substância que está sempre presente em casa e os pais não respeitam a lei. Não respeitam que menores de 18 anos não devem beber nunca”, alerta o psiquiatra e presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (Abead), Carlos Salgado.

A bebida na faculdade pode levar ao alcoolismo mais trade


Fonte: estadao.com.br, Lais Cattassini, 15/02/2011

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*