Herpes, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento

A Herpes ou herpes simples como também é conhecida, é uma doença viral recorrente, geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2, que afeta principalmente a mucosa da boca ou região genital, mas pode causar graves complicações neurológicas.

Cientistas estudam se existe uma possível ligação dela como o Mal de Alzheimer

Existe também a chamada herpes zoster que ocorre quando o vírus da catapora (ou varicela) torna-se ativo novamente nos adultos

Causa da herpes

A herpes é causada por dois vírus da família dos Herpesviridae (Herpes simplex vírus 1, HSV-1, e Herpes simplex vírus 2,HSV-2).

É característica destes vírus infectar algumas células de forma lítica causando lesão (com destruição da célula) como nos epitélios (células da pele e das mucosas) e outras de forma latente (sem atividade destrutiva) como em neurônios (células do sistema nervoso) de onde são reativados (por fatores vários como exposição ao sol, febre, período menstrual, traumatismo, stress, uso de determinados medicamentos ou situações de redução da resistência física) voltando a infectar de forma lítica as células sensíveis causando nova doença

Os HSV1 e HSV2 são muito semelhantes, mas apresentam algumas diferenças significativas. O HSV1 tem características que o levam a ser particularmente infeccioso e virulento para as células da mucosa oral. O HSV2 tem características de maior virulência e infecciosidade para a mucosa genital. No entanto, o HSV1 também pode causar herpes genital e o HSV2, herpes bucal. As infecções primárias pelo HSV-1 são doenças tipicamente de crianças, as infecções pelo HSV-2 são transmitidas principalmente por contato sexual tendo predominância entre os adultos.

A transmissão do vírus se faz preferentemente por contato direto pessoa – pessoa, mesmo que não haja lesão ativa. A infecção através de objetos pode existir, mas é menos comum. O tempo que medeia entre o contato e os sintomas iniciais (período de incubação) é estimado em duas semanas. Em torno de 90% das pessoas tiveram ou terão contato com o HSV-1 e cerca de 20% com o HSV-2.

Sintomas da herpes

herpesApós infecção da mucosa, o vírus multiplica-se produzindo as característicos manchas vermelhas inflamatórias e vesículas (bolhas) dolorosas. As vesículas contêm líquido muito rico em vírus e a sua ruptura junto à mucosa de outro indivíduo é uma forma comum de transmissão; entretanto também existe vírus nas secreções vaginais, do pênis e na saliva. Elas desaparecem e reaparecem sem deixar quaisquer marcas ou cicatrizes. É possível que ambos os vírus e ambas as formas coexistam num só indivíduo.

Os episódios  recorrentes são sempre de menor intensidade que o inicial,  contudo a doença permanece para toda a vida, ainda que os episódios se tornem menos freqüentes. Muitas infecções e recorrências são assintomáticas.

A herpes aparece nos lábios, rosto, nos órgãos genitais (herpes genital) e algumas vezes nas nádegas e tronco.

Diagnóstico da Herpes

Na maioria dos casos basta o exame clínico para o médico diagnosticar o herpes. Em casos mais complexos, o vírus do herpes é recolhidos das bolhas e feridas e cultivado em meios com células vivas de animais. A observação pelo microscópio destas culturas revela a presença dele.

Tratamento da Herpes

Hoje ainda não há vacinas para um tratamento definitivo da herpes, apesar de algumas substâncias como o aciclovir poderem reduzir os sintomas e complicações mais sérias. O tratamento da herpes é feito à base de antivirais, antiinflamatórios e analgésicos;

É possível reduzir a transmissão evitando o contato direto com outras pessoas contaminadas ou com objetos usados por elas (copos, talheres) quando a herpes labial está ativa.

Evitar manter relações sexuais quando a região afetada pela herpes genital não está com aparência saudável normal. Mesmo assim o risco de transmissão é reduzido mas não  inexistente.

A radiação dos raios ultra-violeta (UVA e UVB) agem bloqueando a ação das células de defesa do organismo e reduzindo a proteção imunológica contra o vírus da herpes

Estresse, fadiga, cigarro, bebida alcoólica em excesso e menstruação também baixam a resistência imunológica para o vírus da herpes.

Possível ligação da herpes com o Mal de Alzheimer

Durante uma pesquisa feita no Reino Unido pela Universidade de Manchester, cientistas sugeriram uma ligação entre o vírus da herpes e o Mal de Alzheimer.

Na pesquisa os cientistas infectaram um cultura de células do cérebro com o vírus HSV-1 e verificou-se um grande aumento na quantidade de proteína beta amilóide, proteína esta que forma placas no cérebro de doentes de Alzheimer destruindo os neurónios.

Em experiência paralela, os pesquisadores examinaram partes do cérebro de doentes que faleceram na decorrência de Alzheimer e detectaram o material genético do vírus da herpes acumulado sobre as placas de proteína beta amilóide.

Em pesquisas anteriores já se havia sugerido que o vírus HSV-1 era encontrado em 70% dos cérebros dos doentes com Alzheimer.

É possível que esta descoberta possa abrir caminho para a criação de uma vacina que previna o mal de Alzheimer.

Republished by Blog Post Promoter