Morte súbita, arritmia cardíaca, causa, diagnóstico, tratamento

É um distúrbio intenso e agudo da função cardíaca que produz a interrupção do fluxo sangüíneo para o organismo e perda da consciência, seguida de morte súbita e inesperada.

O intervalo de tempo entre o início dos sintomas até a ocorrência do óbito deve ser menor que uma hora, para que a morte seja classificada como súbita.

Causa da morte súbita

Embora várias situações clínicas como, por exemplo, o acidente vascular cerebral (AVC), a embolia pulmonar e ruptura de aneurisma de aorta possam ser responsáveis por morte súbita, as doenças cardíacas, em particular as cardiopatias isquêmicas (como o infarto agudo do miocárdio e a angina, por exemplo), são as principais causas de morte súbita nos países industrializados.

A aterosclerose das artérias coronárias é observada na maioria dos indivíduos que apresentaram morte súbita. Várias são as complicações da doença arterial coronária (DAC) que podem provocar morte: a isquemia recorrente, a insuficiência cardíaca, complicações mecânicas, tromboembólicas e arrítmicas.

É importante salientar que na morte súbita arrítmica, mesmo conhecendo-se a doença cardíaca primária, a arritmia apresenta-se de forma imprevisível levando à parada cardíaca.

Diagnóstico de uma possível morte súbita

Existem vários métodos diagnósticos destinados a estratificar o risco de arritmias em pacientes com doença cardíaca conhecida e mesmo no caso de doença subclínica (sem sintomas). O ecocardiograma é um método de extrema importância para identificar indivíduos com dilatações das câmaras cardíacas e função de bombeamento diminuída.

Quanto maior o grau de disfunção cardíaca, maior o risco de desenvolverem arritmias malignas. O ecocardiograma realizado sob estresse farmacológico ou físico, o teste ergométrico e os mapeamentos de perfusão com esforço ou estresse farmacológico, são métodos não invasivos que podem identificar indivíduos com doença isquêmica do coração.

Outros exames de imagem como a tomografia das artérias coronárias, a ressonância magnética e a coronariografia por cateterismo cardíaco são de extrema importância na avaliação de alterações estruturais do coração e/ou obstruções das artérias coronárias.

O risco de arritmias propriamente dito pode ser avaliado pela monitorização com Holter de 24 h ou monitor de eventos (Loop recorder), pelo teste ergométrico, eletrocardiograma de alta resolução, entre outros exames.

Sintomas de arritmia cardíaca que pode levar a uma morte súbita

Os principais sintomas relacionados às arritmias cardíacas são as palpitações, a taquicardia, a sensação de falha, o rítmo irregular, as tonturas e as síncopes (perdas de consciência súbitas). A angina e o infarto do miocárdio podem desencadear arritmias malignas e neste caso, a dor ou opressão no peito pode ser o sintoma inicial.

Tratamento da arritmia cardíaca que pode lavar a morte súbita

O tratamento da doença cardíaca é o primeiro passo para que se evite a ocorrência de arritmias.

Além disso, vários são os possíveis tratamentos específicos, tanto para as arritmias primárias como secundárias a doenças cardíacas pré-existentes e estarão indicados de acordo com o tipo de arritmia em questão: medicamentos, marcapassos, ablação por cateter, desfibriladores e até mesmo cirurgias. Cabe ao médico do paciente avaliar o benefício e a indicação de cada um.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*