Musculação para mulheres – vamos deixar os mitos de lado

Algumas pessoas acreditam que o treino para mulheres deve ser totalmente diferente do tipo de treino que os homens praticam, muitas pensam até que as mulheres não devem, de forma alguma, treinar com pesos.

Existem variadíssimos mitos em torno desta questão – Musculação para mulheres.

Vamos conhecer os mais comuns e ver se procedem ou naõ.

Mito 1: Musculação engorda e “masculiniza”

 Como o organismo feminino não é capaz de produzir muita testosterona, é impossível que uma mulher tenha um crescimento muscular comparável a um homem. Mulheres que praticam musculação ficam com os músculos delineados, mas sem exagero.

Mito 2: Musculação aumenta o peitoral

Infelizmente, a única maneira de aumentar os seios é por implante de silicone. Os seios femininos são basicamente formados por gordura. Portanto, eles podem até diminuir caso a sua massa gorda diminua.

Mito 3: A musculação diminui a flexibilidade

A musculação não interfere na sua flexibilidade a menos que trabalhe com movimentos de pouca amplitude. Caso faça os exercícios com a amplitude correcta, continuará tão flexível quanto antes (ou até mais).

Mito 4: Se parar de treinar os seus músculos transformam-se em gordura

 Músculo e massa gorda são dois tecidos diferentes. Essa transformação é impossível. O que acontece, às vezes, é a perda muscular (causada pelo intervalo na atividade física) e o incremento na gordura (causado pelos excessos de alimentação).

Mito 5: Basta treinar com frequência para poder comer tudo o que quiser

 As calorias gastas com atividade física podem ser acrescentadas à sua alimentação, se não estiver em processo de emagrecimento. Mas, tal como as grávidas não comem por dois, quem treina com frequência também não pode comer à vontade. Uma hora de corrida, só para exemplificar, representa cerca de 500kcal gastas, que equivalem a 100g de chocolate.

 

Não há nenhum argumento contra a musculação para mulheres, muito pelo contrário, a musculação possibilita o aumento da densidade óssea, da massa muscular, aumento da força, aumento do tonus muscular, diminuição de massa gorda, manutenção (e até aumento) da flexibilidade.


Fonte: garotas-saradas.blogspot.com, 11/01/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*