Nova droga contra a metástase óssea em pacientes com câncer

É possível adiar a perda de minerais e  protelar o esfarelamento dos ossos. Protelar não significa curar nem impedir para sempre. Mas esses processos estão entre os que mais dores e sofrimento causam aos cancerosos com metástase óssea. E levam a muitas mortes.

Foi lançada uma nova droga que se chama denosumab e com nome comercial de Prolia. Acabou de ser aprovada pela FDA. Prolia foi pensada para combater a osteoporose pós-menopausa, mas a osteoporose tem múltiplas causas possíveis e Prolia parece eficiente contra osteoporose de diversas origens, inclusive a provocada pelo câncer.

A que custo? Não sai barato. A empresa, AMGEN, quer recuperar o investimento e ganhar o máximo. Prolia será injetável, 60 mg cada seis meses, a um custo de US$ 825 por injeção. Mais de mil e seiscentos dólares por ano!

Talvez o preço fique mais baixo porque há competidores. Os bisfosfonatos são mais baratos: um, chamado Reclast (ácido zoledrônico), que também é injetável, custa a metade, mas tem que ser injetado freqüentemente – semanalmente ou mensalmente. Bisfosfonatos orais como Boniva e Actonel também são competidores. Os ingredientes ativos são ibandronato e risendronato, respectivamente. Há expectativa de que as vendas de Prolia cheguem a um bilhão de dólares no primeiro ano. No meio desses cálculos, imprensados por todos os lados, estão os pacientes com câncer.

Amgen pretende lucar o máximo contra o novo medicamente contra diversos tipos de osteoporose Felizmente, a área de prevenção da perda de minerais nos ossos devido a tratamentos anti-câncer está em aberto e há competição, assim como avanços, mas é um número relativamente pequeno de pacientes em relação ao total de pessoas, particularmente mulheres, que sofrem com a osteoporose. É esse grupo maior que vai determinar o preço. Depois de vários anos, termina a exclusividade derivada da patente, aparecem os genéricos e os preços caem verticalmente. Mas há muito espaço para novos remédios no caso dos problemas causados pelo câncer e seu tratamento. O tratamento mais usado, no momento, é Zometa, fabricado pela Novartis e baseado no ácido zoledrônico.

Prolia é mais eficiente do que Zometa em adiar os problemas ósseos, como demonstrou uma pesquisa com quase dois mil pacientes. Os detalhes dessa pesquisa serão divulgados nos encontros da American Society of Clinical Oncology (ASCO) que começam essa semana em Chicago.

É interessante ver esse choque de lógicas. Como pacientes, queremos tratamentos logo, eficientes e baratos. Nossas vidas e nossos sofrimentos dependem disso. As empresas querem lucro e, para alcançá-lo, precisam demonstrar uma vantagem competitiva de tal maneira que a diferença em custo/benefício favoreça o seu produto.

Felizmente, a exclusividade obtida pelas patentes expira. Os genéricos barateiam muito. Mas o câncer não espera…


Fonte: psacontrol.blogspot.com, 03/06/2010, adaptado

One thought on “Nova droga contra a metástase óssea em pacientes com câncer

  1. minha esposa teve ccancer de mama 10 anos atrS AGORA VOLTOU NOS OSSOS JA FEZ 11 QUIMIOS SEM RESULTADO POSITIVO O QUE VOCES PODEM ME INDICAR

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*