Para passar no vestibular… vá a academia, faça musculação e exercícios físicos!

Em ano de vestibular não adianta se debruçar só sobre os exercícios das apostilas. Os exercícios físicos também podem fazer diferença no desempenho escolar, destacam os especialistas.

Para o neurologista especialista em Neuroeducação e Neurologia Infantil José Alexandre Bastos, os benefícios da atividade física para o cérebro são notados ao longo de toda a vida escolar, mas principalmente em épocas decisivas, como o temido vestibular. "É uma verdadeira maratona tanto pela duração quanto pelo número de provas a que os alunos são submetidos", destaca.

Os benefícios já foram até provados por uma pesquisa americana, que constatou que alunos em boa forma física tendem a se sair melhor nas provas do que os sedentários e obesos. "Exercícios físicos estimulam a liberação de neurotransmissores, como a endorfina e a dopamina, fundamentais para o bom funcionamento do cérebro e a sensação de bem-estar", explica Bastos.

O professor de educação física e fisioterapeuta Bruno Viguini destaca ainda mais benefícios para os estudantes. "A atividade física promove uma descarga saudável de adrenalina no cérebro, deixando a pessoa mais atenta, com menos tendência à sonolência, além de ajudar a manter o índice de glicose no sangue, fundamental para a nutrição dos neurônios", destaca.

Relaxamento e postura

Fazer exercícios regularmente também ajuda a espantar o estresse de tanto estudo, além de proteger o corpo contra dores e problemas posturais tão comuns nos adolescentes, principalmente por causa das longas horas de estudo.

"Para isso, é preciso incorporar à rotina alongamentos antes e depois da atividade física e também durante o tempo dedicado ao estudo", frisa Viguini.

Prepare-se para a maratona do vestibular

Cuidado com a postura

Exercícios também podem ajudar você a se livrar daquelas fisgadas nas costas e no pescoço – comuns quando se passa horas na escrivaninha ou em frente ao computador. Para isso, não se esqueça de alongar antes e depois da atividade física.

Na hora de estudar, não fique na mesma posição por muito tempo. Faça uma pausa a cada 30 ou 40 minutos para sair e se movimentar, beba água, vá ao banheiro, alongue-se um pouco

Forme um grupo

Em termos de exercício físico, as melhores opções são os esportes coletivos. Afinal, você vai precisar de resistência e sangue frio na hora da prova.

Jogos como vôlei, basquete e até tênis, estimulam uma série de funções neurológicas facilitando a concentração, ensinando a ter uma visão global das circunstâncias e a prever consequências

Respire fundo

Respirar fundo diminui a tensão e é o primeiro passo para relaxar os músculos. Quando o músculo está tenso, menos oxigênio passa por ele. Quando respiramos fundo, uma quantidade maior do gás chega ao músculo e permite o relaxamento.

Durante o estudo ou na hora da prova, respire profundamente entre cinco e dez vezes. Assim, uma quantidade maior de oxigênio vai chegar ao seu cérebro, te ajudando a relaxar e aliviar a tensão

Já para a cama!

Não adianta virar a noite estudando. Afinal, a maior parte do processo de memorização é feita enquanto dormimos.

Os exercícios físicos e jogos também vão te ajudar a relaxar e garantir uma noite inteira de sono, mas para isso, evita muitos estímulos (físicos e intelectuais) na hora de dormir

Que tal um joguinho?

Um bom jogo de tabuleiro, damas, e até dominó, podem te ajudar na hora da prova. Com eles, você aprende a traçar estratégias, que podem ser cruciais na hora de fazer a prova.

Além de estratégia, esse tipo de jogo estimula a flexibilidade do seu cérebro, ou seja a capacidade de sair de situações inesperadas, além de favorecer a organização e a atenção

A novidade é o máximo

Seu cérebro precisa de novidades para viver. Então, tente fazer as coisas de um jeito diferente a cada dia. Que tal um novo trajeto para a escola? Ou talvez uma comida diferente? Oferecendo estímulos novos, você favorece seu hipocampo, zona ligada à memória e ao aprendizado, que passa a produzir novos neurônios e ligações entre eles.

Mesmo com a agenda apertada, tente colocar coisas novas. Que tal aprender música? Ou uma língua nova? O objetivo aqui não é virar um expert só oferecer novidades ao cérebro

Levante peso

Fazer musculação também pode ser uma boa alternativa – já que é possível mexer com o corpo todo -, desde que orientada por um profissional de educação física. Complemente com uma atividade aeróbica, como caminhada.

A musculação também vai te dar mais resistência para permanecer sentado por muito tempo sem ter dores nas costas

Mexa-se!

Não fique o tempo todo estudando. Aproveite o fim de tarde ou o começo da manhã para fazer uma caminhada ou andar de bicicleta pela cidade
Mas não vale fazer sempre o mesmo percursos, ok? Além de relaxar caminhando, ao fazer trajetos diferentes você estimula seu cérebro

De olho na agenda

Nessa fase pré-vestibular, estabeleça horários para tudo. Depois das horas de estudo extra em casa, reserve um tempinho para ir ao cinema, passear com os amigos, fazer uma atividade física. Procure não fazer as mesmas coisas todos os dias, mas o horário de estudo deve ser fixo
Fonte: Especialistas consultados

Na hora da escolha, opte por exercícios completos

Na hora de escolher a atividade física, o melhor a fazer é levar em conta a afinidade, mas é importante optar por um exercício completo, que mexa com o corpo todo, destaca o professor de educação física, Bruno Viguini.

"Uma caminhada pode ser relaxante, mas não trabalha todos os músculos de que o estudante precisa, como os abdominais para proteger as costas do longo período que passa sentado", pondera.

Segundo Bruno, o ideal é fazer musculação e complementar com alguma atividade aeróbica, como caminhar ou andar de bicicleta. "A musculação é muito importante, pois trabalha todos os músculos e pode ser programada para o tempo que a pessoa tem disponível", destaca o personal trainner.

Senso de organização

Para o neurologista José Alexandre Bastos, além dos exercícios para garantir condicionamento físico, o vestibulando deve incluir também esportes coletivos na agenda.

"Além de serem uma válvula de escape para o estresse, esse tipo de exercício estimula a estratégia e o senso de organização, habilidades que podem ajudar na hora da prova", garante.

Cursinhos ajudam estudante a se organizar

"Não dá para deixar de viver em ano de vestibular", frisa a coordenadora do 3º ano e pré-vestibular do Darwin, Helô Mannato. Para ajudar os estudantes a reservarem tempo para o lazer, ela e uma psicóloga da escola orientam os alunos a montar uma agenda semanal, que varia de acordo com o conteúdo dado a cada dia.

"Em média, um aluno de pré-vestibular estuda cinco horas por dia fora da escola, mas depois disso é preciso reservar espaço para programas mais leves, como ir ao cinema, bater um papo com o amigos, e os exercícios físicos não ficam de fora", destaca Helô.

Segundo ela, há uma diferença nítida entre alunos que se exercitam e os sedentários dentro da sala de aula. "Vemos que quem se exercita e não fica só estudando tem mais facilidade para assimilar as matérias", destaca.

Além de orientar a agenda, a escola oferece também torneios de esportes entre os alunos para incentivá-los a se mexer. "Quando o aluno conhece seus pontos fracos e fortes, ele pode se planejar melhor, estudar e também aproveitar a vida. E a agenda é sempre flexível, acompanha o que foi dado na aula pela manhã", ensina Helô.


Fonte: Gazetaonline, Elaine Vieira, 25/04/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*