Peso é mais importante para a pressão do que estar em forma, diz estudo

Para tentar controlar a pressão arterial e mantê-la em níveis saudáveis, um novo estudo sugere que se preocupar com peso é mais importante do que estar em forma.

O estudo contatou, mais uma vez, que pessoas com sobrepeso ou obesas estão mais propensas a ter uma pressão arterial sistólica -o número mais alto em uma leitura de pressão arterial. Mas a forma daqueles com um IMC (índice de massa corporal) elevado teve apenas um pequeno impacto sobre a pressão arterial.

Os resultados sugerem que as pessoas que estão tentando diminuir o risco de pressão alta devem concentrar-se em perder peso da forma mais eficaz que puderem, segundo os autores, e que o aumento da aptidão física deve ser um objetivo secundário.

“A obesidade é um indicador tão forte de pressão arterial ou risco de hipertensão que ter um peso corporal normal é realmente o que vai conduzir a sua pressão arterial ao invés de seu nível de aptidão”, disse Susan Lakoski, cardiologista da Universidade do Texas Southwestern Medical Center e uma das autoras do estudo.

No estudo, publicado no American Heart Journal, Lakoski e seus colegas analisaram dados de aproximadamente 35.000 pacientes, principalmente homens brancos, recolhidos ao longo dos últimos 20 anos na Clínica Cooper em Dallas, Texas. Quando o paciente chegou na clínica, o médico mediu sua composição corporal, pressão arterial e níveis de aptidão.

Reduzir peso é mais importante do que estar em forma para combater a pressão alta Para determinar a forma dos pacientes, os médicos cronometraram quanto tempo eles poderiam manter um ritmo confortável a pé em uma escada rolante em diferentes velocidades e inclinações.

Usando estes dados, os autores compararam o IMC, os níveis de aptidão e a pressão arterial sistólica de todos os pacientes para ver se as três medidas estavam ligadas. Entre os participantes, o IMC mais elevado foi associado um aumento da pressão arterial sistólica, uma correlação que foi encontrada muitas vezes no passado.

[wpb-product-slider posts="12" title="Compre em nossa loja"]

Mas estar em forma teve menos efeito sobre as leituras da pressão arterial sistólica do que o IMC. Além disso, quando os autores analisaram as pessoas da mesma idade e sexo, a forma física não parece ter qualquer efeito sobre a pressão arterial.

Somente as pessoas de peso normal pareciam ter mais proveito por estar em forma – possivelmente porque o fitness não conseguiu superar os efeitos negativos de ser obeso, de acordo com Lakoski.

Isso não significa que as pessoas que estão acima do peso não devem tentar melhorar a sua forma, disse Paul McAuley, da Universidade Estadual Winston-Salem, na Carolina do Norte. McAuley assinalou que o estudo é apenas um retrato de um grupo de pessoas ao mesmo tempo. Ele não mostra como os participantes se saíram ao longo do tempo.

Sua pesquisa mostrou que pessoas obesas e em forma não têm mais chance de morrer de doença cardíaca e acidente vascular cerebral -ou qualquer outra causa- do que as pessoas que são mais magras e também em forma.

“Nós temos que recuar e dizer, ‘o que é medir a pressão sanguínea?'”, disse McAuley. “É apenas um indicador, assim como um meteorologista usaria.”

Estar ou não na melhor forma afeta a pressão sanguínea de uma pessoa, segundo McAuley, “fitness ajuda a prevenir doenças e mortalidade.”

Lakoski concorda que a aptidão física é importante para o risco para a saúde global e de mortalidade.

Tim Church, o ex-chefe de pesquisa médica do Instituto Cooper, que agora estuda exercício e doença no Centro de Pesquisa Biomédica Pennington, da Universidade do Estado da Louisiana, disse que as descobertas não mudam o pensamento atual sobre o exercício e a saúde a longo prazo.

“Ter excesso de peso é ruim, sedentarismo é ruim”, disse ele.


Fonte: Reuters, 03/08/2010

Deixe uma resposta