Remédio para impotência: o mais falsificado do país

Conviver com a impotência sexual é um martírio para grande parte das pessoas. Para piorar a impotência, o remédio para ela é o mais falsificado do país, segundo o banco de dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Entre 2008 E 2010 foram registrados 32 lotes de medicamentos alvos de pirataria em todo País, sendo 19 deles (59,3%) destinados à impotência sexual, no caso a disfunção erétil (cada lote pode conter milhares de cartelas e caixas dos produtos). Apenas em 2010, cerca de 60 toneladas de produtos falsos foram retirados do mercado.

Os remédios para impotência falsificados podem ser vendidos em farmácias convencionais mas o mais comum é que sejam vendidos pela Internet ou por camelôs. Quem compra o remédio contra impotência falsificado erra duas vezes:

  • erra em ter vergonha de procurar um médico para tratar o problema e obter uma receita que permita comprar o remédio origina;
  • se automedica, o que é pior pois o remédio é falsificado, com efeitos imprevisíveis.

Para um laboratório desenvolver um remédio para impotência como o Viagra, por exemplo, foram feitos muitos estudos e testes e tudo isso custou muito dinheiro. É claro que o laboratório sempre procurará ter m maior lucro possível pois o período da patente não é tão longo face aos custos envolvidos. Achar que comprar um remédio para impotência por um preço muito menor do que o cobrado em uma farmácia séria é bom negócio costuma levar muita gente a tomar pílula azul de açúcar ou outra substância menos higiênica.

Viagra, um remédio para impotência que é o mais falsificado do mercado

Pelos dados de uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Urologia a quantidade de pessoas que toma remédio para impotência falsificado parece ser bem grande. Dos 9 mil homens entrevistados em todo o Brasil, em 22 cidades brasileiras, 50,3% deles afirmaram já ter enfrentado problemas relacionados à impotência sexual. Deles, 22% deles admitiram ter tomado remédios para tentar sanar a dificuldade de ereção, sendo que sete em cada dez fizeram por conta própria, sem avaliação ou indicação clínica.

O problema dos remédios para impotência falsos é que, além de não terem nenhuma certificação que garanta a eficácia, segurança e higiene sobre os métodos de fabricação, eles podem agravar sintomas já existentes. Ou provocar problemas graves como a intoxicação. Um único comprimido falso, dependendo das substâncias empregadas, pode causar a morte.

Como reconhecer um remédio para impotência falso

Existem algumas formas de reconhecer se um remédio é falsou ou não e isso vale também para os de impotência sexual:

  • todos os medicamentos têm na embalagem uma espécie de “raspadinha”. Com qualquer objeto metálico é possível raspar e encontrar um código de segurança no produto, que certifica a autenticidade;
  • os medicamentos mais caros (como é o caso dos destinados à impotência) também têm selos de segurança na parte interna.

Fonte: IG

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*