Rim, comendo certo você protege ele e pode evitar complicações

Dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia revelam que cerca de dois milhões de brasileiros são portadores de doença renal crônica e aproximadamente 60% não sabem disso.

Para evitar que a doença se complique e leve o paciente à diálise (a filtragem do sangue por um equipamento, substituindo a função do rim),  é essencial fazer o diagnóstico precoce.

De acordo com Maria Alice Barcelos, nefrologista e coordenadora do Centro do Rim do Hospital 9 de Julho, o diagnóstico da doença renal é simples: bastam o exame de urina, para detectar a perda de proteína e a dosagem de creatinina no sangue.

“Pacientes dos grupos de risco para doença renal (diabéticos, hipertensos e pessoas com antecedente familiar) devem procurar um nefrologista para avaliar a saúde do seu rim”, afirma a médica.

“Caso a doença renal seja detectada, é importante começar o acompanhamento com especialistas tanto para tratar a complicação renal, quanto para tratar o problema que a gerou: a diabetes ou a hipertensão, por exemplo”.

No entanto, Alice alerta para as medidas que ajudam a evitar esse diagnóstico, tais como pequenas mudanças na alimentação. Afinal, a dieta de controle e prevenção das doenças crônicas é a primeira alternativa antes da diálise. 

Para cada paciente é necessário criar uma dieta diferente, atrelada à diminuição de sal, açúcar, fósforo, potássio ou proteína, substâncias que aumentam a disfunção renal. E, acima de tudo, como a doença renal crônica pode ser assintomática é importante ficar atento a algumas mudanças como perda de apetite, emagrecimento e anemia.


Fonte: Abril, Monique dos Anjos, 12/03/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*