Roupas para bebê em excesso podem causar febre e desidratação

Com temperaturas menores, grande parte das mães zelosas  tende a agasalhar seus bebês. O problema é quando esse zelo se torna excessivo gerando não apenas desconforto ao bebê, bem como febre e outras doenças

O pediatra e homeopata Yechiel Moises Chencinski relata que muitos dos telefonemas que recebe de mães preocupadas com seus bebês febris são resolvidos, após a constatação que a febre se deve a um excesso de roupas, pedido que elas retirem roupas, cobertores, toucas, macacões, etc.. e meçam novamente a temperatura após 30 minutas.

A febre não é o único problema que pode surgir ao colocar roupas em excesso no bebê. O excesso de roupas pode causar sudorese, deixando as roupas molhadas e isso pode ajudar no surgimento de brotoejas.

O bebê completamente enrolado em cobertor também pode ter impedida sua expansão pulmonar de maneira adequada – o que é muito arriscado.

O ser humano tem a capacidade de manter a temperatura corporal relativamente constante, por volta dos 36º. C. Nos bebês, essa capacidade só é plenamente alcançada após cerca de 6 meses de vida. O zelo em manter o bebê aquecido com várias roupas se justifica; o problema é quando ele se torna excessivo. Abaixo apontamos alguns sinais que as roupas colocadas no bebê podem estar em excesso.

Roupas em excesso no bebê causam problemas

Roupas de bebê em excesso podem causar doenças como brotoejas, por exemplo

Como descobrir se as roupas para bebê estão em excesso

O primeiro sinal do desconforto do bebê, é claro, é o choro. Fora ele, o rostinho vermelho, sono irregular ou febre costumam indicar um excesso de roupas.

Um erro comum é achar que pelas mãos e pés do bebê estarem mais frios do que o resto do corpo ele está desprotegido e sentindo frio: tanto os pés quanto aos mãos são mais frios mesmo – a melhor forma de verificar se o bebê está aquecido é sentindo a temperatura no tórax; a cabeça do bebê também não é adequada para ver a temperatura já que ela sempre é mais quente.


Fonte: saúde.terra.com.br

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*