Sibutramina: proibida na Europa e apenas contraindicada pela Anvisa

O alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a respeito da prescrição da sibutramina – um dos mais receitados remédios para emagrecimento – é motivo de controvérsia entre os profissionais de saúde: há quem considere as medidas adotadas em todo o mundo severas demais. No entanto, eles consideram que pouco deve mudar para quem segue à risca os parâmetros de uso da droga. A Anvisa contraindicou o uso da sibutramina para pacientes com histórico de doenças cárdio e cerebrovasculares e com diabete adquirida associada a risco cardiovascular, depois que ela sofreu restrições em outros países.

Nos últimos dias, a Agência Europeia de Medicamentos recomendou a proibição da comercialização da droga e a agência reguladora do setor nos Estados Unidos incluiu na bula do remédio a contraindicação para pacientes com problemas cardiovasculares.

As medidas foram tomadas com base em resultados preliminares da pesquisa Scout (resultados cardiovasculares da sibutramina, na sigla em inglês) realizada pelo laboratório Abbott, que desenvolveu a substância. Con­cluída no ano passado, a pesquisa apontou que o risco de desenvolver doenças cardiovasculares – como enfarte, derrame e parada cardíaca – aumentou em 16% nos pacientes que usaram a droga. O alerta da Anvisa é uma medida temporária. Em fevereiro, a Câmara Técnica de Medi­ca­mentos do órgão vai se reunir para decidir o que fazer.

O médico endocrinologista Henrique Suplicy, que participou da pesquisa Scout, considera que o estudo não muda o conhecimento sobre os riscos da sibutramina. Ele afirma que o trabalho foi desenvolvido em um grupo de alto risco – pacientes que não tomariam a droga de outra forma. “O medicamento é contraindicado para cardíacos, diabéticos e idosos. O Scout visava liberá-lo para essa população, mas as ressalvas parecem proceder”, observa. Suplicy diz ainda que é necessário esperar a publicação da íntegra do estudo e considera qualquer restrição precipitada. “O alerta da Anvisa já era conhecido pelos médicos, só provocou alarde.”

Para a presidente da secção Paraná da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, Victória Borba, o alerta da Anvisa é um reforço às contraindicações da bula, mas não modifica os grupos de risco. “Para o restante da população, basta manter as precauções já tomadas. Acontece que muitos médicos passam por cima das contraindicações”, diz. Victória indica que os pacientes em tratamento com sibutramina procurem seus médicos para avaliar se há necessidade de troca da medicação.

“Muitos médicos receitam sibutramina de forma indiscriminada”, critica o cardiologista Eduardo Saad. Ele considera o resultado do Scout previsível, uma vez que a sibutramina favorece o emagrecimento ao desacelerar a degradação de substâncias que atuam junto aos centros da fome e da saciedade do cérebro, mas que em altas concentrações são prejudiciais ao coração. “A droga não é para ajudar o jovem saudável a perder dois quilinhos, mas para combater a obesidade, que apresenta riscos à saúde, como as doenças cardiovasculares. Só que pessoas nessas condições não podem tomá-la”, diz.

One thought on “Sibutramina: proibida na Europa e apenas contraindicada pela Anvisa

  1. ESTAVA TOMANDO A SIBUTRAMINA DE 15MG HÁ UM MES, ONDE NESTE MESMO DIA FUI SOCORRIDA AO HOSPITAL DEVIDO TER TIDO UMA CRISE DE NERVOS, SENDO QUE EU FUI SOCORRIDA AO HOSPITAL COMO SE EU ESTIVESSE TENDO UM DERRAME. AS MINHA MÃOS FICARAM TODAS TORTAS, BEM COMO MUES DEDOS, ALÉM DE ESTAREM TODOS SEM CIRCULAÇÃO E ROXO. MEUS LÁBIOS SE ENCOLHERAM PARA DENTRO DA BOCA. E TUDO DO NADA, SEM MOTIVOS. EU ACREDITO QUE TENHA SIDO REAÇÃO DA SIBUTRAMINA, ATÉ MESMO PORQUE DOIS DIAS ANTES SE INICIOU COM O DEDÃO DA MINHA MÃO DIREITA, E EU ACHEI QUE ESTAVA COM CAIMBRA. E AGORA, OQUE EU FAÇO? PARO COM O MEDICAMENTO? ALESSANDRA

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*