Sindrome metabólica: obesidade + diabetes + hipertensão

As pessoas que consomem grande quantidade de  fast-food, doces e tem uma alimentação desequilibrada do ponto de vista nutricional estão propensas a desenvolver a síndrome metabólica. A doença está associada à obesidade, como resultado da alimentação inadequada e do sedentarismo. Ela aumenta a possibilidade de o paciente sofrer doenças coronárias e seus sintomas são obesidade abdominal, hiperglicemia, hipertensão, baixos níveis de HDL ou “bom colesterol” e uma alta concentração de triglicerídeos.

A síndrome – transtorno complexo, caracterizado pela associação de fatores de risco para doenças cardiovasculares – é ligada aos principais problemas da saúde pública: hipertensão, diabetes e obesidade. Isso não significa que pessoas magras não desenvolvam a doença. Elas também podem ter a síndrome, embora à prevalência seja menor.

A alimentação saudável começa nos primeiros anos de vida e é nessa fase que os pais devem estar atentos aos hábitos alimentares de seus filhos. Se os pais se alimentam de forma errada as crianças passam a ter os mesmos maus hábitos. As crianças recebem os alimentos que lhes são oferecidos e aprendem a fazer escolhas alimentares por observação dos familiares. Assim, famílias com bons hábitos alimentares educam o consumo alimentar de forma natural.

Ter a alimentação de acordo com o estilo de vida, considerando o peso, à altura, à idade, percentagem de gordura, são condições necessárias para ter uma dieta saudável. Aobesidade é o principal vilão para o surgimento de outras doenças, a exemplo da hipertensão e do diabetes. A associação desses três fatores já é considerada como a síndrome metabólica. Fatores genéticos também influenciam no surgimento das doenças.

Adotar um estilo de vida saudável sem fumar  e com pouca ou nenhumabebida alcoólica, praticar atividades físicas e cuidar da alimentação são fatores essenciais para a qualidade de vida. Mas nem todos estão atentos a essa preocupação e somente quando a doença aparece surge a necessidade de corrigir os hábitos alimentares, de emagrecer.  E aí já pode ser tarde.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*