Sódio e sal de cozinha, eles podem ser os vilões da sua dieta

Com uma longa lista, pouco tempo para fazer compras e milhares de itens no supermercado, a gente acaba se esquecendo de olhar o rótulo de cada produto. Só que a tabela nutricional traz informações que a gente precisa saber, como a quantidade de sódio contida no produto.

O sódio é importante porque transporta os nutrientes para dentro das células. Uma pessoa que consome pouco sódio pode até ficar desnutrida, mas o mais normal é acontecer o contrário: a pessoa ingerir sódio demais e acabar com outros problemas de saúde. O excesso de sódio provoca retenção de líquido, casos de hipertensão e má circulação – que pode provocar de varizes a amputação, nos casos mais graves.

A nutricionista Fernanda Amparo nos acompanhou num supermercado para tirar algumas dúvidas. A primeira é sobre a quantidade de sódio que devemos ingerir diariamente. É preciso controlar a quantidade de cloreto de sódio, o sal de cozinha, que é a principal fonte. “Uma pessoa saudável deve comer de 1 a 2 gramas de sal em cada refeição, o equivalente a uma colher rasa de café. Durante todo o dia, o parâmetro é de 6 gramas de sal”, explica Amparo. “Seguindo essa conta, um pacote de meio quilo de sal deve durar mais de 30 dias numa casa com cinco pessoas”.

O sódio é usado para conservar alimentos e aumentar o tempo que eles podem ficar na prateleira; o melhor é sempre consumir os produtos com menos sódio. Se o rótulo não for olhado com atenção, a gente acaba se enganando. “Um biscoito de água e sal tem muito mais sódio que uma porção de batatas fritas”, compara a nutricionista.

Por causa da maior quantidade de sódio, os alimentos e bebidas diet podem ter efeito contrário: inchar quem queria emagrecer. Um refrigerante que tem 10 miligramas de sódio por copo na versão diet pode ter 30. “Existe o mito de que o produto light ou diet sempre emagrece, mas se o teor de açúcar é reduzido, vai ter uma adição de sal ou de gordura”, explica Fernanda Amparo.


Fonte: Gobo.com, 09/12/2008