Testosterona baixa aumenta risco de Mal de Alzheimer

Segundo um novo estudo, níveis baixos de testosterona em homens mais velhos está associado com o aparecimento da doença de Alzheimer.

A pesquisa incluiu 153 chineses, todos homens com 55 anos ou mais, que não sofriam com a doença. Apenas 47 deles tinham algum comprometimento cognitivo leve, como confusões mentais e perda de memória.

O estudo confirma outras pesquisas realizadas em homens ocidentais que descobriram que níveis baixos de testosterona estavam relacionados com a debilitação mental e o mal de Alzheimer.
Dentro de um ano, 10 dos homens que tinham algum comprometimento cognitivo desenvolveram a doença de Alzheimer. Todos os 10 também tinham níveis baixos de testosterona, níveis elevados de apolipoproteína E, que está relacionada com o mal de Alzheimer, e pressão arterial elevada.

Os pesquisadores concluíram que ter um nível baixo de testosterona é um dos fatores que pode levar ao Mal de Alzheimer. Eles sugerem que os médicos  prestem mais atenção no nível de testosterona dos pacientes, especialmente os que já têm problemas de memória ou outros sinais de comprometimento cognitivo.

Os pesquisadores sugerem que a testosterona pode ter um valor protetor contra a doença, já que a falta do hormônio ajuda o mal de Alzheimer a se desenvolver.

O próximo passo é realizar um estudo de larga escala que pesquise a eficácia de terapias de reposição hormonal (que reponham testosterona) em homens mais velhos que tenham níveis baixos de testosterona e que já apresentem problemas cognitivos, para verificar se o hormônio pode proteger ou eventualmente retardar o aparecimento da doença.

Vale lembrar que esse é um estudo e precisariam ser feitos muitos outros para confirmar que um nível baixo de testosterona pode realmente levar ao Mal de Alsheimer. Portanto, nada de sair tomando anabolizantes (que contém testosterona) por conta própria com a desculpa de evitar o Mal de Alzheimer.


fonte: hypescience.com, Natasha Romanzoti, 06/10/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*