Xixi na cama, pode ser doença e não manha de criança

Fazer xixi na cama é motivo para 88,6% das crianças que molham os lençóis à noite serem punidas com algum tipo de agressão, mostra uma pesquisa realizada pelo Serviço de Urologia da Uerj. Sendo que 48,5% delas sofrem violência física. Porém, urinar na cama não é manha de criança, mas sim uma doença no trato urinário, chamada enurese noturna, que atinge 15% dos meninos e meninas com 7 anos.

Os pais, muitas vezes, veem o problema como desobediência, preguiça ou transtorno psicológico. Mas um estudo feito na Austrália com 5 mil crianças comprovou que essa relação não existe.

— É uma doença como outra qualquer. Não tem nada a ver com distúrbios da mente. Os pais precisam perceber que é um problema biológico e procurar ajuda. Eles não podem aceitar que o médico diga que xixi na cama é normal — explica o professor da Universidade de Lund, na Suécia, e chefe do departamento de pesquisa em urologia da Ferring Pharmaceuticals, Jens Peter Norgaard.

Possíveis causas da enurese

O xixi na cama passa a ser considerado doença quando persiste após os 5 anos; acontece, em média, três vezes por semana e provoca angústia na criança. A enurese tem três causas básicas: bexiga contraída, isto é, com tamanho insuficiente em relação ao volume de urina; produção elevada de urina; e inabilidade para acordar à noite e ir ao banheiro.

— É importante observar cada caso. Se o xixi na cama representar um sofrimento muito grande, mesmo que não seja tão frequente, essa criança também merece tratamento — diz a chefe do setor de urodinâmica pediátrica do Hospital dos Servidores, Eliane Garcez da Fonseca.

Remédios indicados  para a enurese

O tratamento da enurese noturna é feito com medicamentos, de acordo com as causas do problema. Se a doença for provocada pelo aumento da produção de urina, é recomendado o uso da substância desmopressina por um período médio de três meses. Já se a causa for bexiga contraída, são prescritos anticolinérgicos.


Fonte: Extra, 19/03/2010

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*