Diferença entre os remédios homeopáticos e os sintéticos (alopáticos)

Na maioria dos casos, o remédio utilizado em medicina ortodoxa representa uma síntese, obtida artificialmente, de varies princípios químicos complementares, ou às vezes antagônicos, e preparados para serem prescritos em doses ponderáveis. Contudo, existem algumas exceções a essa regra das quais são testemunhas certos medicamentos preparados a partir de cepas vegetais, utilizadas no tratamento dos fenômenos alérgicos que esses mesmos vegetais contribuíram para provocar, e ministrados ao doente numa dosagem bem inferior à das diluições homeopáticas. Cabe aqui uma observação: encontramo-nos, nesse caso, diante de uma ilustração do fundamento das teorias homeopáticas (similitude na prescrição do remédio; doses mínimas na sua aplicação).

foto mostrando medicamentos homeopáticos e alopáticos
Muitos remédios alopáticos são feitos a partir do agente causador, tal como na homeopatia

Voltando ao medicamento utilizado segundo os princípios da homeopatia, duas propriedades o distinguem nitidamente de seu homólogo ortodoxo:

  • ele é preparado a partir de um produto essencialmente natural de origem vegetal, animal ou mineral; é empregado em toda a sua pureza e está isento de qualquer mistura que possa modificar-lhe as propriedades e;
  • para desenvolver ao máximo suas virtudes curativas e evitar os agravamentos medicamentosos frequentemente observados com os remédios ortodoxos, ele é ministrado ao paciente em doses atenuadas por diluições ou por triturações.

Vele lembrar, contudo, que são as plantas que constituem a maior parte dos remédios empregados em farmacopeia homeopática.

Voltar ao índice de Homeopatia

Deixe uma resposta