História da acupuntura

Acredita-se que a acupuntura tenha começado a ser aplicada na China aproximadamente em XXVIII A.C. Nessa época, os chineses já conheciam o funcionamento de órgãos que a medicina ocidental só iria conhecer no Renascimento.

A primeira obra que reuniu o conjunto dos conhecimentos médicos chineses mais antigos foi o Nei-Ting, o Livro do Imaterial. Ela foi publicada cerca de 200 A.C., no início da dinastia Ching.

Durante os séculos passados, a acupuntura empregada pelos médicos chineses foi sendo aperfeiçoada e atingiu seu pleno desenvolvimento durante a dinastia Songe (X a XII D.C.) e, sobretudo, sob a dinastia Ming, em meados do século XVII.

É durante a dinastia Ming que a acupuntura começa a despertar interesse nos países ocidentais. Foram os jesuítas franceses enviados em missão científica a Pequim que, pela primeira vez no Ocidente, mencionaram esse tratamento. No entanto, por falta de documentação, esse tratamento ainda permaneceu vago e incerto quantos aos seus resultados.

Mapa antigo chinês de pontos de acupuntura
Acupuntura chinesa tem mais de 2000 anos

Só no início do século XIX que Berlioz, interessado nos relatos de viajantes vindo da China, inventou uma técnica de tratamento através de picadas cutâneas. Ao mesmo tempo, o professor Cloquet, da Faculdade de Medicina de Paris, surpreendeu-se com os resultados obtidos e começou a fazer experiências mais científicas. O problema é que Cloquet, ao ignorar a verdadeira técnica aplicada na China, fazia picadas profundas demais em seus pacientes e sem considerar os pontos onde deveriam ser feitas, Essa inaptidão provocou acidentes que desacreditaram a técnica e fizeram-na cair no esquecimento.

Apenas em 1929 foi que Fayrrerolles, com a colaboração do de George Soulié de Morrant, antigo cônsul em Xangai e tradutor de vários textos chineses, encontrou-se em condição de experimentar a acupuntura de maneira eficaz. Com os resultados obtidos, publicou seus trabalhos, despertando o interesse de um crescente número de médicos franceses.



[wpb-product-slider posts="12" title="Compre em nossa loja"]

Após essa efetiva introdução da acupuntura na França, clínicos atraídos pela técnica apresentada, puseram-se a estudá-la com mais profundidade e a aplicá-la aos seus pacientes. Entre esses pioneiros podemos destacar Flandin, Matiny, Fayrrerolles e de La Fûye. A partir daí, a acupuntura foi sistematicamente aplicada em diversos hospitais franceses e relatórios clínicos começaram a ser publicados.

A Acupuntura moderna é realizada com a inserção de pequenas agulhas, até 10 vezes mais finas que as agulhas de injeção, em pontos específicos do corpo, visando alívio de dor e outros efeitos locais e sistêmicos.

A acupuntura no Brasil

No Brasil a acupuntura foi introduzida por volta de 1908 com a chegada dos imigrantes japoneses. Pelo fato do país, na época, ser pouco aberto ao mundo, o tratamento ficou restrito às famílias desses imigrantes pois a acupuntura era vista preconceituosamente e havia suspeita de charlatanismo sobre ela.

No entanto, quando o país começou a ser abrir ao mundo a às novas (e velhas, também!) ideias e práticas, a acupuntura deslancha por aqui até passara ser reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina.



Dicas do Natural & Bela para após a sessão de acupuntura

A acupuntura não tem efeito colateral. Cerca de 40% dos pacientes apresentam relaxamento profundo e até sonolência.

No entanto, após uma sessão, pode surgir pequenos hematomas devido a punção de pele em alguns pontos, que desaparecem em poucas horas a dias.

Pode também haver uma pequena dor local após a estimulação de alguns pontos mais profundos. O uso de uma bolsa de água quente ou gelo é suficiente para o alívio dessa pequena dor.

Para relaxar completamente e manter a pele perfeita após a sessão recomendamos o uso de óleos corporais e hidratantes.

Deixe uma resposta