Modalidades dos tratamentos termais

Os modos de aplicação terapêutica das águas minerais são de duas ordens. Porém, independentemente das diferentes técnicas utilizadas, que variam conforme as estações termais, esse tipo de tratamento compreende a duas modalidades: tratamento interno, que é feito através da ingestão do líquido e o tratamento externo, com suas inúmeras variantes.

O Tratamento Interno é feito através da ingestão direta da água brotada do solo, pode ser praticada diretamente na fonte. As doses prescritas sob receita do médico das termas, após o exame clinico, serão progressivas, aumentando ao máximo para depois diminuírem até o final do tratamento, A quantidade diária ingerida geralmente não ultrapassa 1/4 de litro ou 1/2 litro. Entretanto, em certas estações especializadas no tratamento por diurese, a dose diária pode ir além de 1 litro.

No Tratamento Externo a água mineral age graças à penetração transcutânea dos íons liberados; ela é posta diretamente em contato com a pele e as mucosas. Esse contato é feito tanto por intermédio de banhos completos como por duchas, ou, ainda, graças a algumas outras técnicas de aplicação mais especializada.

  • Banhos: os que utilizam a água termal natural são feitos em banheira individual e podem ser quentes ou mornos, não ultrapassando a duração de 20 minutos, também podem ser feitos em piscinas, sobretudo nas estações especializadas no tratamento das afecções articulares. Na verdade, essa forma de aplicação facilita a reeducação funcional dos membros atingidos;
  • Duchas: aplicadas quentes ou frias, conforme o caso, poderão ser gerais ou limitadas a certas partes do corpo como fígado, rins, região lombar, etc.; as duchas submarinas feitas em piscina podem ser assimiladas, por sua ação sobre o conjunto do organismo, a uma verdadeira massoterapia natural.
foto mostrando piscina de banho termal
Banhos termais costumam ter curta duração e serem individuais

A duração dessas modalidades terapêuticas é relativamente curta e não ultrapassa 2 ou 4 minutos.

Em Balneoterapia ressaltamos a importância dos efeitos fisiológicos das aplicações externas de água, tanto sob a forma de banhos como de duchas ou afusões: aumento da circulação sanguínea, estimulação do estado geral e ação sedativa sobre o sistema nervoso. A excitação da superfície cutânea (sobretudo no que concerne a duchas e afusões) transmite-se por via reflexa aos órgãos situados nas partes mais profundas, e podemos comparar esse mecanismo ao que é posto em pratica na acupuntura através da colocação de agulhas.

  • Técnicas Particulares: certas técnicas englobam o uso terapêutico (que pode ser feito na estação) dos vapores de águas temais particularmente quentes, dos quais se beneficiam os reumáticos ou os asmáticos, dos gases emanados de radônio, de hidrogênio sulfurado ou de anidrido carbônico, aplicados em inalações nas doenças respiratórias ou em banhos carbo-gasosos nos hipertensos, e, finalmente, das lamas vegetominerais, em aplicações locais nas doenças articulares crônicas.

Muitas outras modalidades técnicas podem ser empregadas nos tratamentos termais, conforme o tipo de afecção a ser tratada: lavagens de bexiga ou de uretra em urologia, pulverização ou duchas filiformes em dermatologia, aerossóis, pulverizações ou gargarejos em otorrinolaringologia, irrigações vaginais em ginecologia.

Esta curta exposição das modalidades de tratamento permite dar uma ideia da gama desses que podem ser feitos ou aplicados por ocasião de um tratamento termal.

[wpb-product-slider posts="12" title="Compre em nossa loja"]

Voltar ao índice de Hidroterapia

Deixe uma resposta