Principais indicações terapêuticas dos oligoelementos

Veremos a seguir as principais propriedades terapêuticas dos oligoelementos mais utilizados e, dessa forma, forneceremos suas principais indicações.

O magnésio

Oligoelemento de primeira importância, o magnésio age sobre o sistema nervoso central e o sistema nervoso simpático e também sobre o sistema muscular. Além disso, beneficia o equilíbrio do cálcio e intervém na contração normal dos músculos; logo, é indicado para as pessoas que sofrem de perturbações neuropsíquicas e para os deficientes cardíacos.

Finalmente, em certos casos, pode ser indicado nas dores de neurite, nas colites e nas insuficiências hepáticas funcionais.

O mangânes

Oligoelemento de propriedades dessensibilizantes.

A eficácia de sua ação atua nos estados alérgico, em casos de artrose, na fadiga habitual, nas manifestações de ansiedade e na disfunção da tireóide.

É indicado em caso de: artrites dolorosas, asma, urticárias, coriza espasmódica, astenia matinal e em certos distúrbios digestivos que atingem sobretudo o estômago e o duodeno. Para reforçar sua ação terapêutica ele é, segundo o caso, associado, quer ao cobre, quer ao cobalto.

O cobre

Sua intervenção catalítica sobre o organismo é indispensável para a fixação do ferro nos glóbulos vermelhos do sangue, daí sua utilidade em caso de anemias e astenias. Porém, suas maiores propriedades são a luta contra as inflamações e as infecções.

[wpb-product-slider posts="12" title="Compre em nossa loja"]

Associado ao manganês, reforça a ação desse nos estados alérgicos e nos reumatismos inflamatórios. Sua prescrição permite ao organismo formar anticorpos e antitoxinas microbianas.

O cobalto

Esse elemento desempenha uma função importante no metabolismo dos hidratos de carbono e desenvolve um efeito de vasodilatação sobre o sistema arterial. Age, portanto, como hipotensor. Além disso, por sua intervenção reguladora sobre o sistema nervoso simpático, é indicado em todos os tipos de manifestações próprias da disfunção do simpático.

Associado ao manganês, será prescrito na diátese neuroartrîtica ou em caso de distúrbios circulatórios periféricos ou coronários.

Esse complexo é, pois, indicado para as cãibras, para o problema de peso nas pernas, que se sucede ou não às flebites, bem como para as varizes ou ulceras varicosas.

A prata

Esse metal possui uma ação bacteriostática sobre o conjunto das bactérias – evitando sua multiplicação – assim como urna ação mais especificamente bactericida sobre os colibacilos.

Quando empregado sem combinações, esse oligoelemento é indicado em inúmeras infecções como gripes, anginas, afecções rinofaringíticas e pulmonares. Porém, seu poder antimicrobiano aumenta ainda mais na presença do ouro e de cobre.

O ouro

O ouro, de um modo geral, estimula a célula viva, desempenhando uma importante ação anti-infecciosa, particularmente nas artrites reumatoides. Associado ao cobre e à prata, é indicado em todas as manifestações da diátese anérgica. Logo, esse complexo age favoravelmente nas pessoas que sofrem de uma diminuição geral da vitalidade e que reagem mal às agressões microbianas ou virais.

Pode-se, pois, considerar que esse complexo desempenha o papel de um verdadeiro antibiótico, porém sem especificidade particular.

O lítio

Esse metal alcalino exerce uma ação sobre o metabolismo da água e, por esse motivo, regulariza a relação sódio-potássio. Mas age sobretudo sobre o psiquismo, combatendo os estados depressivos, a emotividade excessiva e a insônia.

O alumínio

Prescrito sob a forma de oligoelemento, é indicado sempre que houver uma baixa da vitalidade nervosa e cerebral, fadiga intelectual, retarda do desenvolvimento cerebral na criança; finalmente, o alumínio age, ainda, como regularizador do sono.

Voltar ao índice de Oligoterapia

Deixe uma resposta